sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

A TENTATIVA DO HOMEM EM DAR UMA "AJUDINHA" A DEUS.


“Deus não faz o que nós podemos fazer”. Isto é uma verdade que vemos em toda a Escritura Sagrada. Porém, o ser humano tem uma forte tendência em partir para o extremo. Às vezes o ser humano tem dificuldade para encontrar o ponto de equilíbrio e vai de um extremo a outro. Tentar fazer aquilo que compete a Deus, ou que só Ele pode fazer é outro erro gravíssimo. Em algumas das promessas de Deus de que faria, ou melhor, que cumpria o que prometera como o faz em todas as Suas promessas; e, sempre que o homem se meteu, dando o seu “pitaco” como se fosse ajudar, ao invés disto, atrapalhou. Sempre que o homem quis fazer da sua maneira, ainda que seja na tentativa de que seja para Deus, as coisas deram erradas!
Vemos um exemplo disto em Abraão e Sara. Deus havia prometido a Abraão que sua mulher Sara teria um herdeiro. Abrão creu, e isso lhe foi imputado para justiça, mas Sara sua mulher não chegou a acreditar naquela promessa de Deus. Aos seus ouvidos, provavelmente Deus estaria “passando mel” na boca de Abraão, fazendo promessas que Ele não podia cumprir.  Sara, sendo estéril e com idade avançada, queria muito que fosse verdade, mas duvidou. Naquela época já era comum a “barriga de aluguel”, pelo que vemos. Neste caso não foi de aluguel, mas de escravidão, uma vez que as pessoas de posses tinham direito de propriedade sobre os mais fracos e carentes que elas quisessem escolher.
Sara tinha esse direito sobre uma escrava que seu marido Abraão lhe havia trazido do Egito, da vez em que esteve por lá fugindo da grande fome que houve em sua terra. Seu nome era Agar; mulher bonita e forte, que foi dada a Sara como serva, ou escrava. Então, deve ter pensado Sara em seu recôndito:
 “Já que a promessa não passou mesmo de uma promessa, provavelmente nunca vai se cumprir, vou oferecer a escrava Agar a meu marido para que ela tenha um filho dele para mim”... Seu sonho era mesmo ter o tal herdeiro, como é o sonho de toda mulher, ter filhos. Talvez Sara imaginasse que Abraão fosse exitar muito em aceitar a proposta de que ele coabitasse com Agar para que ela engravidasse e tivesse um filho com ele a fim de que fosse seu futuro herdeiro.
Engano seu! Abraão aceitou rapidinho a sua ideia! A ele caiu como uma “proposta decente”.  Quase não esperou Sara terminar a frase que foi: “Eis que o Senhor me tem impedido de gerar; entra, pois, à minha serva; porventura, terei filhos dela”... Gn. 16:2.  O final do versículo é: “Abraão ouviu a voz de Sara”. Nem disfarçou! Devia pelo menos ter dito: “como é que você disse? Não entendi”, ou algo assim. Mas não, imediatamente, “Agar-rou” a Agar, e a possuiu.
Cá entre nós; não era para Abraão contestar a Sara sua esposa dizendo: “Nunca! Deus prometeu Ele vai cumprir! Esperemos o tempo de Deus! Isso seria um absurdo!” Mas não foi assim!
Ao final, Agar fica grávida e de vez em quando parecia andar meio que “torcendo os quadris” e acariciando a barriga quando passava por Sara, pois, viviam na mesma casa. Sara percebeu e começou a sentir que estava sendo desprezada por sua escrava. Muito triste e acusando agora a Abraão, jogando sobre ele as afrontas que ela estava sofrendo, como se toda a culpa fosse dele, não queria mais a escrava sob as suas vistas. Eu até imagino as discussões que eram geradas na tenda. As desculpas de Sara eram: “Ela me despreza depois de tudo o que fiz com ela, pondo-a em teu colo, agora ela me despreza aos seus olhos”. “O Senhor julga entre mim e ti”. A culpa agora era de Abraão e de Agar. Sara era apenas uma “vitiminha pobre”! O Senhor, de quem ela duvidara, agora faria o julgamento, e que Ele fosse justo, “em favor dela”.
Diante de tantas reclamações e depois de Sara dizer: “Meu agravo seja sobre ti”, v. 5, Abraão a devolveu como escrava com o seu aval de que Sara fizesse como lhe parecesse com a escrava grávida dele. Sara começou a afligi-la, maltratá-la, até que um dia Agar não aguentando mais a pressão e os agravos, mesmo sendo uma mulher forte, deu no pé; fugiu. Porém, Deus é o Senhor dos órfãos; O Deus que não faz acepção de pessoas; que não trata com indiferença, fez a justiça que Lhe aprouve fazer. O Anjo do Senhor encontrou Agar no deserto, provavelmente tentando retornar ao Egito, sua terra natal que estava a quilômetros dali. “O anjo consolou-a, deu nome ao menino que nasceria e disse para que ela retornasse e se humilhasse perante a sua senhora, porque através daquele menino ela teria uma numerosa descendência que não daria sequer para ser contada. E mais, ele habitaria entre todos os seus irmãos, seria forte como um jumento selvagem, um animal quase indomável, que era muito admirado e valioso na época. A sua mão seria contra todos e as mãos de todos seriam contra ele”. Isto significa que os descendentes de Ismael viveriam praticamente misturados com os demais descendentes de Abraão, e ainda estaria em constantes desafios entre eles. Gn. 16:6-14.
Agar retornou e deu a luz a Ismael que se tornou o primeiro descendente de Abraão.
Mamava em Agar, vivia brincando pela casa e intercalava entre os colos de Abraão e Agar. Era a alegria da casa, menos para Sara;  porém, não era aquele o prometido por Deus a Abraão, com o qual Deus estabeleceria aliança.
No TEMPO DE DEUS, Ele cumpre com o que prometera, e visita Sara. A dúvida dela não atrapalhou a promessa de Deus. “Ele permanece fiel, ainda que formos infiéis, não pode negar-se a si mesmo” 2 Tm. 2:13. Foi como Ele havia dito. Gn. 21:1-3; e Sara fica grávida de Isaque, o prometido por Deus tempos depois, sendo, porém, “no tempo que Deus havia determinado”.  
Retornaram as preocupações na família. Gn. 21.9-10. No dia em que Isaque foi desmamado, começaram os conflitos entre ele, Isaque e Ismael. Por que Ismael, o mais velho, ridicularizava a Isaque o mais novo. Na verdade, desde que Sara engravidou, possivelmente começou-se o desprezo da parte dela e Agar, tipo: “Agora eu também vou ter filhos”; e esse é ‘O filho’!
Aham! Conhecendo bem o ser humano dá para imaginar não dá? Elas eram bem encrenqueiras também! Eram “barraqueiras”.  Mas agora era a vez de Ismael. Aham!
“...ele quer mamar, o Isaque quer mamar, desse tamanho e ainda quer mamar...”
Começava o “banzé da gurizada”.
Preocupado com isso, Abraão, consulta a Deus, que lhe garante a segurança do menino e da mãe, e promete que dele, de Ismael, também faria uma nação. Sara insistia, de todas as formas, que Ismael e sua mãe fossem expulsos da casa, ou seja, da tenda.
Isto quer dizer que as coisas não aconteceram como ela queria. Ela agora não queria que Ismael herdasse com seu filho Isaque daquilo que era de Abraão. O filho que, a primeira vista seria para ela um herdeiro, agora era uma “pedra em seu caminho”.  Gn. 21.11-13. Que precipitação eu tive, devia estar pensando Sara! Para que eu fui tentar ajudar a Deus? Poderia ela perguntar-se.
Após isso Abraão, penosamente, levantou-se numa madrugada, por ordem de Deus, “tomou pão e água num odre, e colocou um sobre os ombros de Agar e outro odre de água e pão sobre os ombros de Ismael seu filho e os despediu”. Mãe e filho ficaram errantes pelo deserto de Berseba. No calor escaldante, eles logo consumiram aquela água morna e os pães que levavam. Encontrando um arbusto, deixou Agar ali o menino e se distanciou um pouco dele porque não o queria vê-lo morrer de fome e sede naquele deserto. A mãe e o filho choravam um de lá e o outro de cá. E o Deus das viúvas e dos Órfãos “ouviu a voz do menino” e O Anjo de Deus bradou a Agar outra vez, consolando-a, providenciando água e reforçando a promessa de que “ele seria uma grande nação”. 
Deus deu outro casamento a Agar e Ismael cresceu e se tornou um excelente flecheiro e habitante daquela região, dando posteriormente origem à nação árabe. Ismael teve doze filhos, assim como Jacó, posteriormente.
Os nomes dos 12 filhos de Ismael está registrado em 1 Cr. 1:29,30. E, de Isaque se originou a nação judaica com as doze tribos dos filhos de Jacó, filho de Isaque, que teve o nome trocado para Israel.
Milênios depois da desavença dessas duas mulheres e dessas duas crianças, os árabes e judeus, ainda não se entendem!
 Lembra como tudo isso começou? O homem tentando fazer o que só Deus pode fazer. Poderia ter sido perfeito! Deus tem o seu tempo para tudo e o que Deus promete Ele cumpre! Não compete ao homem, tomar a frente de Deus para que se cumpra aquilo que está nos Seus planos!
 Salomão entendeu isto e disse: “Tudo tem seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu: Há tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de colher o que se plantou; tempo de matar e tempo de curar; tempo de derrubar e tempo de edificar; tempo de chorar e tempo de rir; tempo de prantear e tempo de dançar; tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar e tempo de afastar-se de abraçar; tempo de buscar e tempo de perder; tempo de guardar e tempo de deitar fora; tempo de rasgar e tempo de costurar; tempo de estar calado e tempo de falar; tempo de amar e tempo de odiar; tempo de guerra e tempo de paz”. Ec. 3:1-8.
 Por causa da religião e da política, os descendentes de Ismael e de Isaque brigam até hoje. A religião do Islã, à qual a maioria dos árabes são adeptos, tornou essa inimizade ainda mais profunda. No livro dos mulçumanos, o alcorão, é ordenado que os muçulmanos ataquem os judeus que se recusarem a se converter ao Islã. O Alcorão também introduz um conflito, um bochicho, sobre o qual filho de Abraão era realmente o filho da promessa. A Bíblia diz que era Isaque. O Alcorão diz que era Ismael.
O Alcorão ensina que foi Ismael a quem Abraão quase sacrificou ao Senhor, não Isaque, em contradição ao que diz a Bíblia em Gn. 22. Esse debate sobre quem era realmente o filho da promessa contribui para a oposição até hoje. E, esta briga que está acontecendo agora, pode ter certeza, neste exato momento em que você lê estas linhas; vai ainda muito longe.
Não vale a pena tentar ajudar a Deus. E nem é necessário! Quando Ele promete Ele cumpre! E o que compete a Ele fazer, não cabe aos seres humanos, intrometerem-se. 

Grande abraço.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Acampamento em Piribebui

Estivemos, eu e minha família,  participando do retiro de jovens em Piribebui, no departamento central do Paraguay, cerca de 60 km da capital Assunción, dos dias 10/01 a 17/01/2015. 
Foram dias maravilhosos na companhia de 83 jovens mais a equipe de apoio. Ao todo, cerca de 100 pessoas. Foram três os ministradores deste evento. Irmão José Gomes, Eliezer Medina e eu. Vimos Deus presente a todo momento. A organização foi exemplar; boa participação em todos nos trabalhos de forma geral e o comportamento de cada acampante foi fora de sério. uma sincronia perfeita. Neste momento, até sexta a noite, está sendo realizado o de adolescentes. Estão presentes neste acampamento mais de 60 adolescentes mais a equipe de organização. Ontem houveram duas conversões a ao Senhor Deus.  



Há dois pavilhões masculino e dois femininos com banheiros internos.

Local de reuniões para até 150 pessoas.

Local de reuniões visto de frente.

Casa pastoral, com três quartos, dois banheiros, uma cozinha, área de serviços e área na frente.

Cozinha e refeitório. Ao lado tem um poço artesiano de 80 metros de profundidade com água 100% mineral, saída da rocha.

Campo de futebol e à frente outro de voleibol.
As partidas tem direito a torcida. 

Muito espaço para recreação e tereré.
























 Há muita manga, limão, laranja e goiaba. Há também há um bosque para quem não costuma sestear.


A despedida foi um show com premiação para todos os colaboradores. 





Breve teremos os nossos acampamentos Poxoréu e Corumbá. Oremos por esses eventos para que Deus nos abençoe em tudo. 
Grande abraço!

domingo, 18 de janeiro de 2015

Visita à Neo do Bosque da Saúde - Cuiabá

Neste domingo, 18/01/2015 fizemos nossa primeira visita do ano a Cuiabá, a Capital de Mato Grosso. Estivemos com os irmãos da Neo do Bosque da Saúde, onde compartilhamos a Palavra na Escola Bíblica Dominical e em seguida, também da Mesa do Senhor.
Irmãos do Bosque da Saúde, Cuiabá, MT
No ensino da Palavra, compartilhamos o tema: "O valor da verdade como princípio moral do cristão", disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/mensagensreligiosas/4978954.
Pastor Odenil Miranda e Prof. Izaias Resplandes
Estamos iniciando uma série de visitas que pretendemos realizar até o dia 26 de janeiro próximo. Começando por Cuiabá, passando por Primavera do Leste, Barra do Garças, Torixoréu, terminando em Goiânia, onde vamos levar o nosso neto Davi Resplandes para seu lar. Desde o dia 03 de janeiro ele está passando as férias conosco em Poxoréu.
Prof. Izaias Resplandes com o irmão Gastão
Nessa visita em Cuiabá, encontramos, dentre os vários irmãos, o nosso amado irmão Gastão. Segundo relata, ele foi o primeiro irmão da antiga igreja neotestamentária do Coxipó. Ele, apesar do delicado estado de saúde, continua animado e sempre atuando na igreja em defesa da verdade como princípio moral para o cristão.
Davi Toledo, Israel, Felipe e Davi Resplandes
As crianças foram ensinadas nesta manhã pela irmão Euzilene e apresentaram o versículo que decoraram: Lucas 19:16 - "O filho do homem veio buscar e salvar que se havia perdido".
Izaias, Maria Resplandes, Mariza, Ricardo, Lourdes e Davi
Nessa viagem fomos acompanhado por minha mãe, Maria Resplandes, matriarca da Família, por Lourdes Resplandes (minha esposa), Mariza Resplandes (minha filha) e por Davi Resplandes (meu neto). Ficamos hospedados na residência de nosso filho Ricardo Resplandes, que nesse domingo compartilhou o almoço da mamãe.
Família Resplandes
Ontem, estivemos presentes no enlace matrimonial de nosso sobrinho Douglas Resplandes com a jovem Joyce.

domingo, 11 de janeiro de 2015

Retiro de Famílias em Rio dos Crentes 2015


Poxoréu, MT, 11 de janeiro de 2015.

Queridos irmãos NEOTESTAMENTÁRIOS
Temos a grata satisfação de convidá-los para o Retiro de Famílias Ano XXXIII, a realizar-se no período de 14 a 17 de fevereiro de 2015, no Acampamento Rio dos Crentes, em Poxoréu, MT.Cada participante acima de 8 anos de idade deverá contribuir com o valor de R$ 70,00 (setenta reais), sendo que R$ 10,00 (dez reais) serão distribuídos proporcionalmente aos missionários, para auxiliar nas suas despesas de viagem até aqui e o restante será utilizado para as despesas de alimentação durante o Retiro e na conservação do Acampamento..Esperamos que todos venham participar deste Retiro com muita alegria e disposição para cooperar. Cada um que não esteja envolvido nas escalas de estudos e na comissão organizadora, que não seja criança, idoso ou que tenha limitações de saúde poderá ser escalado para auxiliar nos serviços diários do Retiro.Solicitamos a cada Igreja local que traga uma lista com o nome e a idade dos participantes para orientar o serviço de escalas e a entregue no primeiro dia aos irmãos Márcia e Jair Lomeu, responsáveis pelas Escalas de Serviços deste ano.Teremos nove reuniões para cada classe: manhã (8:00 h), tarde (14:45 h) e noite (19:30 h) e teremos também três reuniões para formação de professores (sábado, domingo e segunda-feira, das 16:30 às 17:30 h). Na manhã de domingo teremos também a celebração da Ceia do Senhor. A primeira reunião de sábado será apenas para os informes gerais.Cada reunião terá a duração de 1h30min, sendo 1 h reservada para o estudo e 30 min para louvor e atividades de abertura e encerramento.É necessário que se traga colchões, lençóis, cobertores e travesseiros. Ainda não dispomos de colchões para atender a todos. Há espaço para armação de barracas.Os alojamentos são coletivos: masculino e feminino. Não esquecer de trazer a Bíblia, o hinário hinos e cânticos e um caderninho para suas anotações pessoais, bem como objetos de uso pessoal.Se algum irmão fizer uso de medicação especial, é recomendado que traga a mesma. Pode ser que não se encontre em Poxoréu para comprar.Há espaço para se atar redes nas árvores. Lembramos que durante o dia o clima aqui está mais para quente do que para frio. Já à noite, principalmente na madrugada, costuma esfriar bastante. Venha prevenido.Estamos aguardando as caravanas com bastante amor e alegria no coração.Que o Senhor nos abençoe a todos.
Izaias Resplandes de Sousa – Secretário.



Altamiro, Valmi e Paulo Moraes


DOS PERÍODOS DE ESTUDOS

DOS ESTUDOS PARA  CASAIS E DEMAIS ADULTOS
Os estudos para os adultos serão assim distribuídos aos convidados, conforme segue:
Miss. Isaias Almeida – 3 tempos
Miss. Ademar Soares – 3 tempos
Miss. Paulo Moraes  – 3 tempos.

DOS ESTUDOS PARA JOVENS (14 ANOS COMPLETOS PARA CIMA)
Os estudos para os jovens serão assim distribuídos:
Miss. Isaias Almeida – 2 tempos
Miss. Paulo Moraes – 2 tempos
Pr. Ivon Silva – 2 tempos
Pr. Roque Nascmento – 2 tempos
Prof. Izaias Resplandes – 1 tempo

DOS ESTUDOS PARA ADOLESCENTES (CLASSE DE 12 A 14 ANOS):
Miss. Rosângela Almeida – 2 tempos
Pr. Itamar Soares – 2 tempos
Pr. João Rita – 2 tempos
Pr. Honório Neto – 2 tempos
Prof. Altamiro – 1 tempo

DOS ESTUDOS PARA ADOLESCENTES (CLASSE DE 8 A 11 ANOS):
Miss. Marinalva – 2 tempos
Profª Milca – 2 tempos
Profª Sandra Nonato – 2 tempos
Mas. Cléberson – 2 tempos
Prof. Altamiro – 1 tempo.

DOS ESTUDOS PARA BERÇÁRIO E CRIANÇAS (Zero a 7 anos):
Ir. Ana Paula Dias e Joelma, de Jaciara – 1 tempo
Ir. Maria do Carmo e Marluce, de Barão do Melgaço – 2 tempos
Ir. Nelci e Elisângela, de Várzea Grande – 2 tempos
Ir. Ingled (Nova Olímpia) e Ana Paula Montezuma (Cuiabá) - 2  tempos
Ir. Helena e Ruth Queiroz, de Cuiabá – 2 tempos.

DOS ESTUDOS PARA PROFESSORES (das 16:30 às 17:30 h):
Prof. Izaias Resplandes – 1 tempo
Miss. Rosângela – 2 tempos

Obs.: Se algum dos escalados não puder vir, que providencie alguém preparado para substituí-lo, comunicado à Secretaria para a devida adequação. Agradecemos a cooperação e compreensão de todos os escalados. Pedimos às lideranças das Igrejas que faça os comunicados aos mesmos, para que se preparem em tempo. Se cada um de nós fizer a sua parte, com certeza o fardo ficará leve para todos. É assim que Jesus deseja ver o seu povo.                                          
Izaias Resplandes – Secretário

DOS COORDENADORES DE SERVIÇOS
DO RETIRO ANO XXXII EM POXORÉU

Joneide e Ivon Silva

Coordenação Geral: Pr. Ivon Pereira da Silva, de Cuiabá
Secretária Geral: Mariza Resplandes, de Poxoréu
Compras: Mathilde e Esther, de Rondonópolis
Escalas de Serviços: Diácono Jair e sua esposa Márcia Lomeu, de Rondonópolis
Cozinha: Irmã Rosa, de Cuiabá e Ir. Oraide, de Barão de Melgaço
Apito: Ir Dorisvaldo, de Jaciara
Som: Pr. Ivon, de Cuiabá e Ir. Paulo Santos, de Rondonópolis
Banheiros Femininos: Ir. Joelma, de Jaciara
Banheiros Masculinos: Ir. Idivaldo, de Várzea Grande (Jardim Vila Rica)
Limpeza de Pátios e Salão de Estudos: Ir. Eldes, de Várzea Graande
Arrumação de Bancos: Diáconos das Igrejas Locais presentes
Água: Ir. José Carlos, de Poxoréu
Luz: Ir Agostinho, de Cuiabá e Fábio Resplandes, de Primavera do Leste
Lixo: Ir. Valmi Resplande, de Primavera do Leste
Enfermagem: Ir. Cléberson, de Várzea Grande e Milca, de Rondonópolis
Ginástica: Ir. Tânia Mara, de Primavera do Leste e Ir Carla, de Várzea Grande
Organização de filas: Pr. Juscelino, de Rondonópolis e Pr. Leonildo, de Cuiabá
Esportes: Ir. Altamairo, de Primavera do Leste


“Cada um sirva ao Senhor com alegria!”

Equipe de Planejamento



terça-feira, 6 de janeiro de 2015

O TEMPO DE DEUS

O TEMPO DE DEUS.

Tenho escrito alguns artigos sobre o tema “Pressa x Paciência”.  Tenho falado sobre esperar o tempo de Deus em todas as coisas. De se lembrar sempre que Deus é Deus e nós somos nós. De que os nossos pensamentos não são os de Deus e nem os Seus caminhos os nossos caminhos, e a diferença é imensamente grande; por que assim como os Céus são mais altos do que a terra, assim é a diferença entre os nossos pensamentos e os de Deus e entre os nossos caminhos e os Seus. Is. 55:8,9.  
Querer viver fora do tempo de Deus é querer que Deus viva dentro do nosso tempo. É querer estipular para aquele que é o dono do tempo, que viva dentro do nosso “tempinho”. 
As consequências disto geralmente trazem grandes prejuízos.
Temos um exemplo no Rei Ezequias. Ele estava doente de uma enfermidade mortal. Deus deu ordem ao profeta Isaías para que fosse a Ezequias informar-lhe de que morreria daquela enfermidade; porém, antes de sua morte ele teria um TEMPO de por em ordem as coisas da sua casa. Ele se levantaria, provavelmente, resolveria as questões pendentes, arranjaria tudo o que fosse necessário e assim descansaria em paz, dentro do tempo e da vontade de Deus.
 O profeta Isaías deu o recado e se foi outra vez.  O rei Ezequias, porém, deitado como estava, não aceitou a vontade nem o TEMPO de Deus e orou, se lamentou, chorou muitíssimo ali mesmo na sua cama, tentando fazer com que Deus visse o quanto ele tinha sido integro, fiel, andando diante de Deus, reto aos Seus olhos, e chorou muitíssimo, como se dissesse: Senhor, que “papelão” o Senhor está me fazendo!
O profeta Isaías já estava longe retornando do recado que havia dado e Deus pediu para que ele voltasse porque o Rei Ezequias “Não havia aceitado o tempo de Deus”. Deus disse a ele: “Volta e dize ao príncipe do meu povo, ouvi as tuas orações e vi as tuas lágrimas; eis que te curarei e ao terceiro dia subirás à casa do Senhor. Acrescentarei aos teus dias quinze anos e das mãos do rei da Assíria te livrarei a ti e a esta cidade e defenderei esta cidade por amor de mim e por amor de Davi, meu servo”.
Deus deu ordem ao profeta Isaías que, ao retornar, providenciasse uma pasta de figos e levasse para que pusessem sobre a ferida de Ezequias; e assim ele ficou curado.
Ezequias, esplêndido, radiante, por ter sido curado tão maravilhosamente, empolgado demais, ao receber umas visitas e uns bons presentes de alguns representantes de nações, inclusive da Babilônia, “resolveu mostrar sua empolgação mostrando toda a riqueza do Reino aos mensageiros! Lhes mostrou toda a casa do tesouro, a prata, o ouro, as especiarias, os óleos finos, o seu arsenal e tudo o quanto achava nos seus tesouros; nenhuma coisa houve, nem na casa nem em todo o seu domínio que Ezequias não lhes mostrasse”. 2 Rs. 20:12,13.  Pronto, estava armada a cilada contra si mesmo! 
 Isaías o profeta veio outra vez a Ezequias, indagar sobre aquelas visitas, sobre o que eles disseram, sobre o que eles haviam vistos. Ezequias informou o seguinte: “Eles vem de uma terra ‘longínqua’, vieram da Babilônia”. Eu lhes mostrei todas as coisas, tudo o que tem aqui, nada deixei de mostrar a eles. “Então disse Isaías a Ezequias: Ouve a Palavra do Senhor: Eis que virão dias em que tudo quanto houver em tua casa, com o que entesouraram teus pais até o dia de hoje, será levado para a Babilônia; não ficará coisa alguma, diz o Senhor. Dos teus próprios filhos, que tu gerares, tomarão, para que sejam eunucos no palácio do rei da Babilônia”. 
Que tristeza! Não haveria necessidade de nada disto se Ezequias tivesse aceitado o TEMPO DE DEUS!  Ele teve que dizer suspirando: “Pois pensava: Haverá paz em meus dias”. 
Aí você pergunta: Por que Deus deixou que isso acontecesse? Eu respondo: Deus apenas permitiu, consentiu, autorizou o que Ezequias preferiu e proferiu. Aí a gente entende a vontade permissiva de Deus. Esta não era a Sua vontade soberana; a Sua vontade soberana era a que ele havia dito através do profeta Isaías, de que Ezequias morreria! Como o rei não aceitou, então entrou a vontade permissiva de Deus.    Ezequias, nesse período gerou Manassés, que aos doze anos assumiu o reinado, e se torna um dos mais cruéis reis da época; tornando a edificar tudo o que seu pai havia destruído. Levantou altar a outros deuses, a baal, inclusive queimou a seu filho em sacrifício; era agoureiro, macumbeiro, idólatra, adivinho e tudo o que desagradava a Deus ele fazia.
Se Ezequias tivesse aceitado o plano de Deus, o TEMPO DE DEUS, essa criatura  chamado Manassés não teria nascido! Nabucodonosor, Rei da Babilônia não teria levado a nobreza de Jerusalém no tempo já do Rei Joaquim,2 Rs. 24,25, cumprindo ao que Isaías tinha profetizado, pelo fato de Ezequias haver despertado o desejo, o interesse, aos representantes da babilônia, logo após a sua cura. Setenta anos de cativeiro do povo de Deus na Babilônia, em troca de quinze de Ezequias, que não deveria ter vivido, porque era o seu tempo e não o de Deus. Por que discutir com Deus? "Quem es tu ó homem para discutires com Deus?! Porventura pode  o objeto perguntar a quem o fez: Por que me fizeste assim"? Rm. 9:20.


Grande abraço e até a próxima!

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Agradecimento

Sacia-nos de manhã com a tua benignidade, para que cantemos de júbilo e nos alegremos todos os nossos dias. Alegra-nos por tantos dias quanto nos tens afligido, por tantos anos quantos suportamos a adversidade. Aos teus servos apareçam as tuas obras, e a seus filhos, a tua glória. Seja sobre nós a graça do Senhor nosso Deus; confirma sobre nós as obras de nossas mãos. (Sl 90:14-17)
Moisés na sua meditação sobre a eternidade de Deus, a fragilidade do homem, a brevidade da vida, pede a graça de Deus sobre o seu povo.
Toda vez que reflito nas palavras inspiradas deste humilde e ousado servo, reconheço a copiosa graça de Deus sobre a minha vida, sobre o meu ministério, sobre a minha família e sobre a sua igreja. Sei que no ano que se vai, muitos de nós passamos por aflições, por adversidades; mas Deus foi tão bom para conosco e nos mostrou a sua maravilhosa graça, através de suas obras a nós e a nossos filhos, e confirmou as obras boas de nossas mãos. Sou imensamente grato a Ele pela sua fidelidade e misericórdia para comigo. Sou grato também a todos vós, prezados irmãos pelo zêlo a nós mostrado, por estarem disposto a segurar a corda daqueles que resgatam as almas das correntezas do pecado. Sou grato a cada irmão que têm sido voluntários para ofertar para a construção da nossa casa, não fazendo questão de se identificar, mas Deus o identificou e retribuirá segundo cada um merecer. Que o Deus de Moisés, de Abraão, de Isaque, de Jacó, o Deus da antiguidade, da eternidade, o Deus de ontem de hoje de amanhã e sempre, o nosso Deus a quem confiamos pala fé, nos fortaleça, nos preserve, nos abençoe e nos faça prosperar em todas as áreas da nossa vida ao entrarmos nesse novo.
 Um forte abraço a todos!

domingo, 28 de dezembro de 2014

O caminho em que se deve andar

O caminho em que se deve andar

Prof. Izaias Resplandes, Rio das Mortes, Primavera do Leste, MT

Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele, Provérbios 22:6
Qual é o caminho que a pessoa deve andar durante toda a sua vida, desde sua meninice até a sua velhice? Às vezes pensamos que é o caminho do progresso, o caminho da ciência, o caminho que seja a tendência do nosso século, o caminho que agrada aos nossos olhos e ao nosso coração, ou quaisquer outros que sejam. No entanto, tenho por certo que, para nós, que somos cristãos, o Caminho em que devemos andar é aquele que conduz ao Pai Celestial; é o caminho aberto por Jesus; é o próprio Jesus; é aquele caminho que está estabelecido nas páginas da Escritura; é o caminho estreito, em oposição ao caminho largo e espaçoso; é o caminho difícil, apertado e tortuoso seguido pelas minorias, em oposição àquele em que todos querem percorrer, o caminho das facilidades, das vantagens pessoais, da independência; é o caminho do amor ao próximo e que seja melhor para os outros, ainda que, talvez, não seja o melhor para nós... Esse é o caminho no qual devemos educar as crianças para seguir.