sábado, 26 de julho de 2014

Relatório Missionário

Barreirinha,AM  25/07/14
Porque não me enviou Cristo para batizar, mas para pregar o evangelho, não com sabedoria de palavra, para que se não anule a cruz de Cristo. (1 Co 1:17 )
Missionários Joab Nogueira e Carla Martins à União Missionária Neo Testamentária, saudações.
Damos graças ao Senhor, pela sua misericórdia  e graça que, nos tem dispensado todos os dias.
Já vencemos, com a graça de Deus, o período difícil das enchentes aqui em Barreirinha, as principais ruas da cidade não estão mais inundadas, a água desce lentamente,mas está baixando. Já voltamos ás atividades normais da igreja e do campo missionário.
Atualmente, estamos residindo em um quarto que fica na parte de trás do local de reunião, que mede 5m de largura por 3,5 de comprimento. Graças às ajudas da igreja Neotestamentária do Castanheira, das igrejas Neotestamentárias de Parintins, do Pr. Nanao Yamamoto, da irmã Gláucia Torrezan e da congregação local; organizamos  parcialmente o quarto que estamos morando, construímos uma puxada para trás, de 5m de largura por 2,5 de comprimento, onde foi  estruturada  em uma parte a cozinha e na outra está sendo construído o banheiro c/ vaso.



Atualmente, quatro pessoas receberam a Cristo Jesus; três mulheres e um homem: Tânia Straus de Sá (35), Maria do Bom Socorro Belém Carvalho (45), Samara Belém trindade (26) e Gerson  Nazaré Trindade (50); todos são pais de crianças que fazem parte da congregação.
Dia 15 de agosto reiniciaremos o trabalho da construção da nossa casa; a partir da cinta até a cobertura. Temos disponível em poupança o valor de R$ 8.500,00 para a construção da casa. Damos graças a Deus pela  generosidade dos irmãos em Cristo e das igrejas em geral, que têm ofertado exclusivamente  para esse propósito.
Somos mui gratos ao total apoio da UMNT através das igrejas e do seu presidente  na realização dessa obra.
Cordialmente em Cristo,
Missionários, Joab Nogueira de Oliveira e Maria Carleândia Lima Martins de Oliveira.


sexta-feira, 25 de julho de 2014

PECADO É TUDO IGUAL?

Reflexão.

Uma vez, conversando com um irmão e amigo chamado Charles Correia, o qual pela graça e misericórdia de Deus, já teve seu espírito recolhido; ele meio nervoso com umas informações que eu lhe passava a respeito da certeza de salvação que a Palavra de Deus garante àquele que crê de todo o coração e do perdão de pecados pela graça,  dentro de seu Fiat Uno de cor bordô, juntamente com sua, na época namorada me perguntou: Então Zigo, pelo que você está dizendo, existe pecadinho e pecadão?  Sim, existe. Respondi-lhe.  Ele assustado me perguntou de novo: Para Deus existe pecadinho e pecadão? Sim! Reafirmei-lhe. Então eu preciso reaprender muita coisa que me foi ensinado até hoje, disse-me ele com os olhos azuis arregalados e com um sorriso sem graça, olhando pelo retrovisor interno.
Minha resposta foi de ímpeto; mas depois eu fui pensar: Será que respondi certo ao irmão Charles? Então fui pesquisar e fiquei bem tranquilo diante de Deus por aquela resposta que lhe havia dado.
É muito fácil dizer que para Deus todos os pecados são iguais, porque assim morre a discussão. Mas à luz da Palavra de Deus, eu me sinto com a consciência limpa em afirmar que há diferença entre pecados e pecados para Deus.
No Velho testamento, por exemplo, na época em que se tinha que seguir a Lei, a gente vê que havia essa diferença.  Em Lv. Capítulos de 1 a 5, que fala dos diversos tipos de pecados do povo, dos sacerdotes, dos príncipes, dos pecados voluntários e involuntários, dos ocultos e dos que eram conhecidos de todos, ou seja, aqueles pecados públicos. De acordo com o pecado eram feitos os sacrifícios. Às vezes uma fêmea de gado miúdo, uma cordeira ou uma cabrita ou mesmo um casal de rolinhas, para, por exemplo, um pecado de haver tocado num animal imundo ou por ter feito um juramento temerário, ou até um pouco de farinha, caso não tivesse em condição de oferecer pelo menos dois pombinhos ou rolinhas. Lv. 5:1-11. Outras vezes tinha que ser um carneiro macho, de estimação que estivesse entre o rebanho, sem mancha, por exemplo, pelo pecado de sacrilégio e ignorância.  Lv. 5:14-18.
A verdade é que tudo que desagrada a Deus é pecado. Aliás, a palavra pecado significa errar o alvo; não atingir a marca; estar em desacordo com a vontade de Deus; desobedecer a lei, isso é pecado e todo pecado é ofensa contra Deus e Ele deles se desagrada. Todo pecado provém do pecado original de Eva e Adão, quando desobedeceram a Deus comendo do fruto de que Deus proibiu-lhes comer. “Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram.” Rm 5:12. E, com certeza, Deus se entristece com qualquer espécie de pecado; entretanto, conhecendo a Deus e analisando a Sua Palavra, eu particularmente, O encontro fazendo diferença entre pecados mais e menos graves.
Pensemos por exemplo num pecado involuntário que é aquele pecado, que independe do nosso querer, às vezes caímos no erro de cometê-lo sem percebermos. Com palavras ou ações.  Quando nos damos conta, nos sentimos culpados e tocados pela voz do Espírito Santo falando em através da nossa consciência; aí, pensando sobre o assunto, nos damos conta de que realmente pecamos, e temos que pedir perdão a Deus, que perdoa a todo pecado e toda injustiça. “Se confessarmos os nossos pecados Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” 1 Jo. 1:9.
  Esta semana, por exemplo, eu estava chegando ao banco do Brasil, aqui na cidade de Foz do Iguaçu e vi na calçada um senhor bem idoso, barbudo, muito magro e sujo pedindo esmolas. Ele estendeu a mão e me pediu uma moeda. No momento, com tantas pessoas passando por ali, e eu com bastante pressa, disse-lhe: “não tenho nada”. Entrei, saquei um dinheiro que precisava e, no momento em que estava colocando na carteira vi que tinha R$2,00. Então senti remorso. Eu havia mentido para aquele pobre e carente homem. Eu lhe disse que não tinha nada! E quanta coisa eu tenho, que Deus me deu, além daquele dinheiro! No retorno eu lhe entreguei os 2,00, no momento em que outra pessoa estava entregando-lhe uma garrafa de água. O Espírito Santo falou em minha consciência que eu havia pecado. Pedi perdão aDeus naquele momento.
E o pecado circunstancial? Pecado circunstancial é aquele pecado, cuja circunstancias, nos forçam a cometê-los. Por exemplo, uma telefonista que é obrigada pelo patrão a dizer que ele não está, sendo que ela está, muitas vezes enxergando-o acenando do outro lado ou à porta, para que ela diga isto a quem está do outro lado da linha. Um vendedor que fala muitas vezes o que não é verdade a respeito de seu produto a fim de convencer o comprador. Uma “mentira branca” para se safar em alguma situação. Aí você me diz: “o crente não pode mentir e ponto final”. Não pode, não deve, mas o faz ou não? Aquele que diz que não, é um gigante em desonestidade consigo, mesmo e com Deus.  Pensando por exemplo em Raabe, Jacó, Isaque, Abraão, que mentiram. Davi que, quando estava fugindo do rei Saul comeu o pão da preposição que só era permitido dar ao sacerdote. 1 Sm. 21. Outro exemplo de Davi “fingindo” ser doido diante de Aquis rei de Gate. 1 Sm. 21:13-15.  É pecado fingir? Claro que é! Ananias e Safira, por causa do fingimento e mentira, foram mortos. Mas as situações foram diferentes, e, claro, a época também. As intenções foram diferentes.
Há também o pecado programado, pecado deliberado; aquele que a pessoa decidiu, programou, projetou e se esforça ao máximo até cometê-lo, investe nele, e por fim se da por satisfeito quando o realiza. “Se pecarmos deliberadamente, voluntariamente, decididamente, depois de ter conhecimento da verdade, já não resta sacrifícios por esses pecados.” Hb. 10:26. Não restam sacrifícios a não ser o sacrifício de Cristo, dando-se a Si mesmo na cruz pelo pecado de toda a humanidade. Quero chamar a atenção ao que se referia ao sacrifício na época da Lei, e que realmente não havia sacrifício a ser feito para tal pecador. Hoje, na dispensação da graça, temos nosso Advogado Jesus Cristo. “Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo o justo. Ele é a propiciação dos nossos pelos nossos pecados e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo”. 1 Jo. 2:1,2.
 O crente não deve viver na prática do pecado, porque é um crente e O Espírito Santo habita nele e fala com ele através da consciência, sobre o que deve e o que não deve fazer. Mas às vezes, por um deslize peca. “Se dissermos que não cometemos pecado, enganamo-nos a nós mesmos e a verdade não está em nós”. 1 Jo. 8. “Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso e a Sua Palavra não está em nós”. 1 Jo. 1:10.
O mesmo rei Davi programou o pecado com Bete-Seba, que diz que ele viu a mulher, procurou saber quem era ela, depois mandou buscá-la e depois programou Tim-Tim, por Tim-Tim uma maneira de culpar Urias. Vendo, porém, que não conseguiria, programou então a morte dele para que ele, Davi, não fosse visto como o culpado do adultério que cometera. Esse rei, homem segundo o coração de Deus, sofreu duras consequências pelos seus erros, pelo resto de sua vida. 
Pensemos: Digamos que você tenha uma padaria e vê uma mulher com uma criança faminata, entrando, pegando um pão e saindo sem pagar, o que você faria? A deteria?  chamaria a polícia para que ela fosse presa pelo fato de haver roubado um pão? A condenaria? Ou “fingiria” não ver, e talvez, ainda desse também um leite? Ou olharia pra ela com um olhar fico para mostrar que você percebeu mas não reagiu PR ver a necessidade dela e da criança?  E se você visse uma pessoa chegar de carro ou moto e roubasse o dinheiro do caixa, ou furtasse outra coisa não seria diferente?  Mas nas duas situações, não seriam roubo ou furto?
Pois, pensando assim, eu creio que, se para nós humanos e “sendo maus”, como diz em Mt. 7:11,  pensaríamos e agiríamos de formas diferentes, quanto mais Deus que é misericordioso? Penso que Deus faz diferença nas punições e vê pecados mais e menos graves.
Em  Pv. 6:16,17, fala de seis coisas que deixa o Senhor aborrecido (chateado, contrariado, desgostoso)  e a última que Ele abomina (detesta, odeia, não suporta).  
Em 1 Jo. 5:16,17 diz que há pecado para a morte, e por esse não se deve apenas orar, mas há pecado, pelo qual se deve orar, caso pegue seu irmão cometendo, para que ele seja perdoado e o pecado deixado.  “Porque “o que confessa e deixa alcançará misericórdia”. Pv. 28:13.
Em Mt. 18:15 diz: "Se o seu irmão pecar contra ti, vai e repreende-o, entre ti e ele só; se te ouvir, ganhaste o teu irmão”.  Nos dois versículos seguintes diz que “se ele não ouvir, leva ainda contigo uma ou duas testemunhas, e se não escutar,a recomendação é que se leve á igreja”, para que aquela pessoa seja separada da comunhão, “sendo considerada como gentio e publicano”. Ou seja, o pecado foi agravado. Assim como em 1 Jo. 5:16,17, não basta orar por ele ou com ele simplesmente; é pecado de morte e deve ser tratado. (separado da comunhão), para que Deus trate com ele, uma vez que não aceitou o tratamento do irmão ou da igreja. 

Grande abraço!


Zigo.

terça-feira, 22 de julho de 2014

Notícias de Foz do Iguaçu-PR.

      Neste domingo, 20 de julho, fizemos um trabalho de distribuição de folhetos, evangelismo e divulgação do curso Bíblico evangelístico que estamos oferecendo aqui em casa, em Foz do Iguaçu-PR. Convidamos alguns irmãos da cidade de Hernandárias no Paraguai e vieram um grupo de mais de trinta irmãos, na grande maioria jovens, sendo dois da também vizinha Argentina. Logo depois do almoço, saímos em grupos de quatro pessoas nas ruas do bairro, fazendo casa por casa. No retorno, houve um lanche com chá promovido pelos próprios irmãos.
      O objetivo deste curso é anunciar o Evangelho do Senhor Jesus Cristo àqueles que realmente quiserem conhecer a vontade de Deus para a sua vida; haja vista que, com tantas "igrejas" na região, as pessoas se saturam de tantos folhetos. Confirmamos isto na nossa distribuição. Muitos outros grupos estão fazendo esse trabalho. Aqueles que se inscreverem realmente para o curso, subentende-se que realmente estarão interessados. Até agora temos apenas seis pessoas inscritas, apesar de toda essa divulgação, e também com a divulgação através de uma faixa que ficou por mais de dois meses estendida no portão da nossa casa. Outras três pessoas que vieram perguntar sobre o curso, eram missionários que queriam diplomas para poder abrir igrejas. O que não é o caso. Esperamos que no próximo sábado poderemos iniciar propriamente esse trabalho de evangelização através desse curso.
Uma parte do grupo que saiu às ruas.
Eliezer Medina, esposa e filha marcaram presença.
Nos fundos de casa.
Irmão Alejandro e Alejandro. Dois argentinos.
Grande abraço a todos.

sábado, 19 de julho de 2014

EBF 2014 -Escola Bíblica de Férias

Tudo conforme a vontade de Deus!

o Espírito Santo de Deus tomou conta do coração de cada um que esteve conosco nos dois dias.
Em clima de copa,tudo ficou verde, amarelo e azul
"Uma torcida organizada de Jesus que ama esse Brasil"

Realizado nos dias 21 e 22 de Junho, a EBF 2014 ESCOLA BÍBLICA DE FÉRIAS, na Igreja Evangélica Neo Testamentaria do Castanheiras.


Com o tema “Crianças a serviço de Deus” baseado na vida de Samuel
 Marcos 16:15

Equipe de Cânticos

1º Dia (21/06) 83 Crianças

2º Dia (22/06) 92 Crianças


Aceitaram Jesus – 17 Crianças

Equipe de Lição

Pastor José Jorge orando pelas Crianças que entregaram suas vidas a Cristo!

Pregação - José Ribamar

Equipe Missionária
(Representando famílias abandonas)

Equipe Missionária
(Representando Familias viciadas)

Equipe Missionária
(Representados os Indígenas)

Período Missionário
21 Crianças sentiram o desejo de ser missionários,quando foi feito o desafio no segundo dia pela irmã Graça Silva. (Período Missionário)




quarta-feira, 16 de julho de 2014

"VOCÊ NUNCA SERÁ MÃE, É MELHOR ADOTAR UMA CRIANÇA"



Maria Tereza com a pequena Maria Vitória
Cleiton/Tico com o pequeno Luiz Felipe







 “Você nunca será mãe, é melhor adotar uma criança”

Sentença proferida pelo médico após analisar o resultado dos exames do casal Cleiton/Tico e Maria Tereza. Lágrimas, angústia, dor, desespero, aflição, assim eles viajaram da cidade de Cuiabá a Barão de Melgaço, 110 km, numa das viagens mais dolorida das suas vidas. Chorando, coração angustiado, uma noite em prantos, porém, lembrou, e disse, eu sirvo o Deus dos impossíveis. E com essa convicção foi procurar ajuda na própria ciência que havia desmoronado suas vidas.
 Depoimento da irmã Maria Tereza, no culto de ação de graças pelo nascimento do casal de filhos que lhe foi dado por Deus.

          Foi ai que o casal desejoso de ter filhos, procurou ajuda de médicos especialista no assunto, que orientou como poderia ser realizada a fecundação artificial do óvulo. 



        As crianças é fruto do desenvolvimento da ciência na reprodução humanas, e foi utilizando o método de reprodução assistida conhecida como inseminação artificial ou In Vitru, uma vez que o casal não tinha possibilidade da gestação do modo natural.


                            



O casal foi buscar a direção de Deus para realização deste procedimento cientifico, e se sentiram confiante no procedimento que resultou na fecundação uterina de um menino e uma menina tendo um período gestacional sem nenhuma complicação até o nascimento.
Irmão Roger Antonio Alvarenga, na direção do culto de ação de graças.

  O Presbítero Honório Neto, falou sobre a dura luta travada pelo casal na expectativa de realizar o sonho de ter filhos.  O irmão começou lendo livro de Salmos no capítulo 40 – esperando com paciência no Senhor, Hebreu 11.1 a certeza das coisas que espera, Thiago 1:6 Peça com fé – salmo 40:2 Pôs os meus pé sobre a rocha, mas hoje reunimos aqui para agradecer o casal de crianças que o Senhor os deu. – Lucas 8:49 têm bom animo a tua fé te salvou, 49 o milagre da ressurreição – 50 Não tema somente crê. Salmo 40: 3 e 4 – E colocou um novo cântico na minha boca – Hebreu 12:12 Cantar-te ei louvores no meio da congregação. Thiago 5:13 Cante louvores. Isaias 41:20 – Para que todos vejam, e saibam, e considerem, e juntamente entendam que a mão do Senhor fez isto, e o Santo de Israel o criou.

                           


Presbítero Honório Neto e sua esposa irmã Marluce

Diácono Benedito Queiróz e sua esposa irmã Adriana

Diácono José Edilson e sua esposa irmã Mirian Nascimento

Irmão Antonio Marcos e sua esposa irmã Marlei

Irmão Benedito Ribeiro sua filha Talissa e sua esposa irmã Nice

Irmã Joneide, irmão Benedito e irmã Irene

Irmão João Batista e sua esposa irmã Priscila Silva
Irmã Vilma e seu esposo Augusto
Diácono Joilson, irmão José e Marcondes

Cantamos o corinho...
                                           “Perto Quero estar”

                                                 Perto quero estar            
                                                 Junto a teus pés             
                                                 Pois prazer maior não há   
                                                 Que me render e Te adorar
                                                 Tudo que há em mim            
                                                  Quero te ofertar           
                                                  Mais ainda pouco eu sei   
                                                  Se comparado ao que ganhei
                                                  Não sou apenas servo    
                                                 Seu amigo me tornei
                                                 Te louvarei
                                                 Não importam as circunstâncias

                                                 Adorarei
                                                 Somente a ti Jesus.


Irmã Cynthia e a pequena Maria Vitória


Irmã Priscila com o pequeno Luiz Felipe e a mamãe orgulhosa irmã Maria Tereza com sua pequena  Maria Vitória





O Presbítero Roque Nascimento, na sua participação falou sobre a importância do reconhecimento, neste momento solene de gratidão a Deus.


Finalizando a reunião o Presbítero Roque Nascimento, convidou o irmão Presbítero Ivon Pereira da Silva de Cuiabá, para fazer uso da palavra em favor do casal Cleiton e Maria Tereza e o seu casal de filhos recém-nascidos.
Falei sobre a dor e sofrimento de Ana e como ela alcançou o favor do Senhor e Este te presenteou com cinco filhos. (I Sam. 2:21 – Visitou, pois, o Senhor a Ana, que concebeu, e deu à luz três filhos e duas filhas: e o jovem Samuel crescia diante do Senhor.)



É o Deus dos impossíveis, agindo nos dias de hoje.


Momentos de alegria entre irmãos


O bom papo regado com momentos de emoção


Foi servido um lanche aos visitantes